Arrecadação de ICMS e COVID-19

Destaques:

  1. Nos dois primeiros meses observa-se uma correlação positiva entre variação do ICMS e número de contaminados. Os estados que apresentaram o maior número de contaminados foram aqueles que apresentaram as menores perdas de arrecadação;
  2. A baixa adesão ao isolamento social permitiu que a atividade econômica (compra e venda em estabelecimentos) continuasse em seu ritmo normal. Essa interação propiciada pela atividade comercial, sem os devidos cuidados, contribuiu para que o número de contaminados se elevasse e o impacto na arrecadação fosse menor que o observado nos meses seguintes;
  3. Nos meses de maio, junho e julho a relação se inverteu e a correlação sugere a tendência de que os estados com maior número de contaminados foram aqueles que apresentaram as maiores quedas de arrecadação. Com o aumento do número de contaminados e ampliação das restrições sobre as principais cidades, a arrecadação caiu sensivelmente.
1 / 6
2 / 6
3 / 6
4 / 6
5 / 6
6 / 6



Fonte: Tesouro Nacional e Brasil.io