Desigualdade de Renda medida pelo Índice de Gini e COVID-19

O Índice de Gini foi criado pelo matemático italiano Conrado Gini. tara-se de uma forma de medir o grau de concentração de renda em determinado país ou região. Esse índice varia de zero (0) a um (1) (alguns apresentam de zero a cem). O valor zero significa uma situação de igualdade, ou seja, todos têm a mesma renda. O valor um (ou cem) significa que uma só pessoa detém toda a riqueza. Portanto, quanto mais próximo do valor mais desigual é a distribuição de riqueza em uma sociedade.

Destaques:

  1. Quando consideramos o fator renda, medido pelo Índice de Gini, observa-se uma correlação positiva entre desigualdade de renda e contaminados para todo o período analisado;
  2. Os estados com maior desigualdade de renda são aqueles em que a população está mais sujeita a se contaminar pelo Coronavírus;
1 / 6
2 / 6
3 / 6
4 / 6
5 / 6
6 / 6



Fonte: Atlas do Desenvolvimento Humano e Brasil.io


Destaques:

  1. Os dados mostram que existe uma correlação positiva entre desigualdade de renda e taxa de letalidade causada pela COVID-19;
  2. A subnutrição, a baixa escolaridade e dificuldade de acesso condições de higiene básica são alguns dos resultados da concentração de renda. Nessas condições, quando os indivíduos são expostos ao vírus, a probabilidade de morte é mais elevada devido às comorbidades não devidamente tratadas em decorrência da impossibilidade de acesso a condições sanitárias básicas e acompanhamento médico adequado;
  3. A desigualdade de renda é um fator agravante em condições de disseminação da pandemia. Parcelas da população em condições precárias de vida, por apresentarem sistema imunológico frágil, são mais vulneráveis ao Coronavírus.
1 / 6
2 / 6
3 / 6
4 / 6
5 / 6
6 / 6



Fonte: Atlas do Desenvolvimento Humano e Brasil.io